18 de junho de 2014

PARCERIA AGRUPAMENTO DR JOSÉ LEITE DE VASCONCELOS / SANTA CASA DA MISERICÓRDIA DE TAROUCA

Projeto LER +JOVEM



Um ano letivo termina e, nele se viveram atividades que marcaram quem delas usufruiu, neste projeto LER +JOVEM.
Pensado e idealizado como relação intergeracional entre os alunos do Agrupamento Dr José Leite de Vasconcelos de Tarouca e os utentes das diversas Respostas Sociais da Santa Casa da Misericórdia de Tarouca conduziu à concretização de atividades e eventos diversificados que a todos animaram e, acima de tudo, uniu todos como parceiros mas, acima de tudo, como amigos.
Se no primeiro período as atividades foram direcionadas para o conhecimento dos espaços e para os primeiros passos de acolhimento, o segundo período levou já a diversas participações desde Workshops sobre Património Imaterial e sobre o Dr José Leite de Vasconcelos, nos quais se tentou fazer a sensibilização para o valor da recolha de tradições populares locais, em vias de extinção.
Na área do Desporto, a turma do Curso Profissional de Desporto, integrou uma das sessões do Campeonato de Boccia que decorreu no Pavilhão do Agrupamento de Tarouca, onde os alunos interagiram com os utentes do Lar Residencial da Santa Casa da Misericórdia de Tarouca e os restantes participantes, fazendo as marcações de campos, na arbitragem e na prestação de serviços necessários ao bom decorrer do Campeonato.
Na Semana da Leitura, que ocorreu no mês de Março, nova visita aconteceu à Biblioteca, desta vez para a sensibilização sobre a Higiene Oral, orientada pela Enfermeira Estela da UCC de Tarouca, a que se seguiu o Desafio de Trava-Linguas, onde os alunos participaram e os utentes do Lar de Idosos foram o Júri da competição, tendo também feito a sua intervenção animada, relembrando memórias de trava-línguas conhecidos.
A dinamização de uma Exposição denominada “A Arte Contemporânea vista na ponta dos dedos”, de autoria de alunos do 9º ano, da disciplina de Educação Visual, que esteve patente no Centro Escolar de Tarouca levou a que os utentes do Lar de Idosos, do Lar Residencial e da Turma de 5 anos do Jardim de Infância da Santa Casa da Misericórdia, fossem até ao espaço da Biblioteca Escolar daquela instituição onde foram sensibilizados para a Arte Contemporânea e, principalmente, neste caso para obras realizadas com materiais diversos que permitiram acima de tudo a exploração sensorial. Foi nesta ocasião que um Jovem autista daquela Instituição fez a sua experiência sensorial, o que resultou num belíssimo sorriso, ao tatear uma obra decorada com algodão em rama. Uma situação muito sensibilizadora para quem assistiu.
Uma nova visita ocorreu para os alunos do Jardim de Infância que vieram assistir à Dramatização “A Locomotiva”, baseado na obra com o mesmo nome, dinamizada pelos alunos do 12ºano do Curso Técnico de Apoio à Infância.
O ano terminou com a integração de duas turmas do 4º ano, do Centro Escolar, neste projeto que, tendo dinamizado 2 teatros “Serafim e Malaqueco” e “A Galinha Medrosa”, em contexto de Biblioteca Escolar, decidiram apresentar os mesmos nas instalações do Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia de Tarouca, a todos os utentes das diversas Respostas Sociais daquela instituição, num verdadeiro espírito de intergeracionalidade que levou a animação e a alegria a todos. O lanche convívio oferecido aos alunos participantes foi um momento muito agradável para todos. Assim, se abriu também o caminho para dinamização de outras atividades que integrem os diversos ciclos de ensino do Agrupamento de Tarouca.
Afinal é possível trazer a Escola à Comunidade e vice-versa com resultados de sucesso na integração de todos os intervenientes do processo. Um agradecimento à Santa Casa da Misericórdia de Tarouca pela disponibilidade, acolhimento e aceitação dos projetos comuns. 
Isolina Guerra




12 de junho de 2014


“ À descoberta das terras de Aquilino Ribeiro”

        No passado dia 3 de Abril, três dezenas de alunos de diversos anos do 2º e 3º ciclos partiram à descoberta do percurso de vida que Aquilino Ribeiro teve por terras do concelho de Sernancelhe.
        A viagem era prémio do Concurso realizado no 1º período, aquando da comemoração da efeméride do Cinquentenário da sua morte, no qual os alunos participaram em diversas áreas, desde a escrita,  a pintura, o desenho e mesmo a dramatização, o que levou a uma proposta do Júri para que todos os participantes fossem premiados, pelo gosto e empenho que colocaram nos trabalhos que realizaram. Com a ajuda do Município de Tarouca através da cedência do transporte, como habitualmente, e a anuência da parte da Direção do Agrupamento partimos para a sua concretização.
            A sua terra natal – Carregal, foi o ponto de partida da viagem com a visita à casa onde nasceu e viveu a sua infância.
           Seguiu-se depois o percurso para Quintela da Lapa, terra onde Aquilino Ribeiro estudou, dos 10 aos 15 anos, no Colégio de N. Sra da Lapa, local de passagem de inúmeros e renomados homens portugueses e onde, se pode visitar o seu quarto, as salas de aulas e encontrar algumas das suas obras e escritos. A visita ao Museu da Lapa foi ainda um ponto para a perceção do contexto espácio-temporal de inúmeras obras de Aquilino Ribeiro, tendo sido referenciada a obra “Uma luz ao fundo”, como a que conta as vivências de Aquilino Ribeiro nesta fase da sua vida.
        Por entre serranias, fragas e uma natureza que se conserva na sua originalidade, puderam os alunos perceber, algumas das obras que andam a ler e explorar, como seja “O Romance da Raposa”, obra com uma escrita muito própria, mas muito bela, pela sua individualidade.
        Surgiu ainda uma parceria com o Centro de Estudos de Aquilino Ribeiro (CEAR), na pessoa do seu atual Presidente Dr João Inês Vaz, para que a visita tivesse ainda um outro âmbito de abordagem pois a presença do Dr Jerónimo Costa (um orgulhoso lamecense) fez perceber, pelas suas explicações todo o conteúdo da Casa Museu de Aquilino Ribeiro, em Soutosa, onde tudo se mantém no seu cariz mais genuíno, mostrando a intimidade de um autor que se diz ser regionalista, mas que possui um âmbito internacional nas suas vivências, como se pode observar pela ilustração da  1ª edição do “Romance da Raposa, que foi realizada por Benjamim Rabier, um famoso ilustrador francês.
       Neste espaço, de enorme beleza, Aquilino Ribeiro escreveu dezenas de livros, possuindo uma excelente Biblioteca (já não completa, pelas vicissitudes dos tempos e dos homens), local este também visitável. Permite-se ainda a visualização da casa do caseiro, onde todas as alfaias tradicionais e objetos de uso diário, mostram o viver do homem beirão no seu mais genuíno sentir.
      Afinal percebeu-se que é possível entender muito melhor a obra e a escrita de um homem, pela percepção da vivência que teve, do seu “mundo pessoal”, que inspirou toda uma obra que urge ser reavivada e relida para se perceber a sua essência.
         Recomenda-se a visita a estes espaços, afinal tão próximos de nós, principalmente a todos os que têm interesse na excelente obra de Aquilino Ribeiro, que se baseou sempre no seu lema de vida “Alcança, quem não cansa”.
video